Campus Paulista promove palestra para o curso de Produção Audiovisual

No dia 23 de maio, os alunos do curso de Produção Audiovisual do campus Paulista, sob a coordenação do professor Ney Aluxan, assistiram a uma palestra do produtor de cinema Eduardo Hentschel, que falou sobre o mercado e as profissões do futuro na área da Produção Audiovisual.

Hentschel é produtor audiovisual, cofundador da rede social SuperCinema e professor do curso de Pós-Graduação em Direção Audiovisual da UNIP. Ao abordar o tema em discussão, destacou que a procura por profissionais especializados na área de vídeo vem crescendo a cada ano, impulsionada pela indústria do cinema e das mídias sociais. Apontou também a ligação da Produção Audiovisual com outras áreas do conhecimento. Na produção de um filme, por exemplo, há demanda por profissionais de diversas áreas no set de filmagem, tais como, nutricionista, advogado, segurança do trabalho, maquiador de efeito especial, engenheiros de efeitos especiais.

O professor relatou ainda sua experiência na produção de curtas premiados e do longa Diário de um Exorcista – Zero, dirigido por Renato Siqueira. Com produção independente, o longa foi o primeiro filme nacional sobre exorcismo e possessões, com base em acontecimentos verídicos, a entrar no catálogo na Netflix para ser exibido em 86 países. Segundo Hentschel, “apesar das dificuldades, foi possível alinhar experiências e parcerias para realizar a produção com custo relativamente baixo, se comparado às produções nacionais no geral.”

Por fim, foi apresentado o filme A caçada, produzido recentemente por estudantes do curso de Pós-Graduação em Direção Audiovisual. Em seguida, os alunos tiveram a oportunidade de assistir ao making of dessa produção, que levou dois dias para as gravações e muitas horas destinadas à edição de áudio e efeitos especiais.

Para o professor Ney Aluxan, o contato com profissionais do cinema visa complementar a formação dos alunos, bem como possibilitar uma proximidade com o mercado de trabalho e abrir um leque de oportunidades e de networking. “Somos todos cineastas, só precisamos de uma ideia na cabeça, uma vez que já andamos sempre com uma excelente câmera na mão, guardadas as proporções relacionadas ao tipo de lente”, concluiu o coordenador, se referindo aos smartphones, que possibilitam atualmente a realização de trabalhos para serem apresentados em festivais de diversas categorias.